segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Resenha: Tartarugas até lá embaixo - John Green


Título: Tartarugas até lá embaixo
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Nº de páginas: 269
Ano: 2017

Você já parou para pensar que, mesmo que seja completamente independente, more sozinho, trabalhe e pague as suas contas, ainda assim, não está totalmente no controle dos seus pensamentos e da sua vida? Outra coisa: quantas vezes você já tentou explicar o que sente e o que vê, mas ninguém conseguiu te compreender?

Em Tartarugas até lá embaixo somos apresentados a Aza Holmes, uma jovem de 16 anos que vê sua vida se afunilar o tempo todo. Em meio aos pensamentos incontroláveis que comandam a vida de Aza, sua melhor amiga Daisy a convoca para solucionar o desaparecimento de um homem muito rico, Russell Pickett, pois há uma recompensa generosa de cem mil dólares para aqueles que ajudarem a solucionar o caso. 

Aza conhece o filho de Pickett, Davis. É a partir dele que as meninas tentam desvendar o mistério. Assim, ao mesmo tempo em que acompanhamos as investigações de Aza e Daisy a respeito do desaparecimento, somos apresentados a uma Aza com problemas de ansiedade que tornam as coisas a sua volta extremamente complexas, em especial seu relacionamento com Davis.

"[...] o céu é um substantivo singular, como se constituísse uma única coisa. Mas o céu não é uma coisa única. O céu é tudo." (p. 60)

Tartarugas até lá embaixo não é, unicamente, um livro sobre o desaparecimento de um homem, há algo maior em jogo: a ansiedade e o TOC (transtorno obsessivo compulsivo) de Aza. Achei isso incrível, eu nunca tinha me deparado com uma personagem como ela, com os problemas que ela tem, o fato de não conseguir estar no controle de seus pensamentos, e isso se mostrou extremamente importante, principalmente para as pessoas perceberem que problemas psicológicos são muito sérios e precisam ser tratados. John Green foi brilhante ao trazer essa temática, que é bastante preocupante, em um livro tão agradável de ser lido.

"Tanto faz. O mais apavorante não é girar sem parar numa espiral crescente, é girar sem parar na espiral que se afunila." (p. 144)

Eu estava morrendo de saudade de ler algo do Green, assim como todos os bons fãs. Eu já li todos os livros publicados pelo autor e gosto muito de todos eles. Enquanto eu lia Tartarugas até lá embaixo, me senti extremamente confortável e me pegava pensando em como a escrita do Green é gostosa, convidativa, singular. Sim, singular. Eu acredito que seria capaz de distinguir um livro dele de longe. Existe algo muito especial em sua escrita, e essa característica se manteve depois de algum tempo sem publicar novos livros, em Tartarugas até lá embaixo.


A construção dos personagens no enredo foi tão bem feita, como de costume. Eu gostei de Aza, mesmo a achando irritante em alguns momentos (no fundo eu a compreendo); sem dúvida alguma adorei Daisy e gostaria de ser sua amiga, assim como adorei Davis, a mãe de Aza, etc. Outro ponto bacana foram as referências literárias que Green faz ao longo do livro, alguns de forma mais aprofundada, outros apenas mencionando. Me deparei com J. M. Coetzee, Jane Austen, Virginia Woolf... 

"Estar vivo é sentir saudade." (p. 262)

Eu adorei capa parte desse livro. Ele é divertido ao mesmo tempo em que é sério, e como eu gosto disso! Eu refleti tanto que acabei entrando numa espiral também. Eu continuo amando todos os livros do John Green e Tartarugas até lá embaixo é maravilhoso!


GREEN, John. Tartarugas até lá embaixo. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2017.


8 comentários:

  1. Eu amo as histórias do John Green, estou louca pra ler esse livro <33
    Parabéns pelo blog, já estou seguindo para poder acompanhar as novidades

    www.papomoleca.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então você irá adorar.
      Obrigada pelo carinho, volte sempre! 🌻

      Excluir
  2. Oi Thamiii
    Adoro o Tio Verde tbm <3
    Ganhei Tartarugas de amigo oculto, espero poder ler logo tbm <3
    A escrita dele é msm singular, tbm reconheceria de qlqr forma, hahahah
    Bjs, te indiquei num prêmio lá no blog <3
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Oba, que presentão lindo, haha. ♥ Espero que você goste tanto quanto eu!
      Beijão

      Excluir
  3. Olá Thamiris!
    Tio Green sabe mesmo como escrever e conquistar! Não ouvi críticas de livro! Só elogios... Parabéns pela resenha, está muito boa! Beijos...

    www.blogleituravirtual.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Muito obrigada. E sim, o Green arrasa, haha.
      Agradeço a visita.

      Excluir
  4. Oi! Infelizmente não tive Boas experiências com outros livros do autor, mas esse me chamou a atenção de todas as maneiras, desde a capa até a história. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com